» » » CERTIFICADO PARA ANDAR COM DEUS



Uma das histórias bíblicas que mais me fascina é a de Jó. Na verdade, desde minha infância, ficava maravilhado ao imaginar a experiência vivida por este grande patriarca. Penso que nenhum ser humano, em são juízo, gostaria de ser submetido a tamanha provação. Por outro lado, poucos terão o privilégio de experimentar o nível de profunda comunhão que ele desenvolveu com Deus.



Quando Satanás tirou de Jó, em duas investidas, tudo o que ele possuía, por certo pensava que sua vítima renunciaria à sua integridade, abriria mão de seus valores morais. Entretanto, Jó não o fez. Pelo contrário, adorou ao Senhor (Jó 1.20). Os recursos malignos das trevas haviam se esgotado. Jó frustrou os intentos do diabo e honrou o testemunho que Deus havia dado a seu respeito.



No entanto, o que realmente me leva a refletir em sua biografia é o fato de que Deus permitiu que fosse levado à extrema provação. Não bastassem as perdas materiais, perdera também seus filhos, o amparo emocional de sua esposa e amigos, a saúde, a honra e a dignidade. O que restava a Jó? A primeira vista, nada, absolutamente nada; da perspectiva espiritual, tudo, absolutamente tudo!



Não só os valores morais de Jó foram preservados intactos durante sua provação, como também os planos de Deus para a sua vida. Aliás, por causa dos planos de Deus é que ele não renunciou à sua integridade. O Senhor reservou uma cadeira especial para Jó na escola da vida, sua matrícula na faculdade de Deus estava garantida, e ele fez questão de ser o melhor aluno. Ao fim do curso, o legado: “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado” (42.2).



Jó não sabia antes de passar pela escola; ele aprendeu por lá. Descobriu a soberania de Deus! A sensação? Imagino que bem parecida à de uma criança quando aprende a ler: um mundo novo se descortina diante de si. É isto: um mundo novo fora revelado a Jó, numa esfera superior, numa dimensão em que Satanás não poderia lhe tocar jamais. Jó aprendeu que uma das coisas em que Satanás não toca é nos planos que o Senhor estabeleceu antes da fundação do mundo. Isto se chama soberania; o patriarca acabara de descobrir a soberania de Deus! Quais os benefícios desse aprendizado? O que acontece quando aprendemos a reconhecer a soberania de Deus? Recebemos um diploma! Deus tem um certificado a entregar aos aprovados no fim do curso da provação.



A colação de grau de Jó tinha dia e hora marcados. Um versículo bíblico registrou o momento da entrega do canudo ao melhor dos estudantes: “Antes eu te conhecia só de ouvir falar, mas agora os meus olhos te vêem” (42.5). Sim, este foi o certificado do patriarca, uma relação pessoal com Deus! Que prêmio poderia ser melhor que este? A primeira vista, parece pouco, absolutamente pouco; da perspectiva espiritual isto era tudo, absolutamente tudo! Jó foi demovido de seu lugar distante e trazido para um lugar bem perto do Senhor. Ele passou de um relacionamento impessoal, terceirizado, para um relacionamento íntimo, pessoal com o Senhor. Ele próprio confessa que seu conhecimento era meramente teórico: “Antes eu te conhecia só de ouvir falar”. Na universidade divina, ele adquiriu o conhecimento prático.



A praticidade da comunhão com Deus está na nossa caminhada com ele. Para se conhecer alguém de perto, é necessário estudá-lo. Para estudar alguém, é necessário conviver. Só será possível conhecer alguém profundamente se andarmos com ele. Do contrário, o conhecimento será superficial. Jó conhecia a Deus superficialmente, e isto era bastante para temê-lo, mas não era bastante para receber o certificado de amigo íntimo do Senhor.



Todos quantos queiram relacionar-se com Deus precisam entender que ele submete nosso caráter, intenções e lealdade ao teste. O certificado só será entregue aos aprovados, e Deus não vende o gabarito da prova. O vestibular pode vir a ser doloroso, desgastante, sofrível. Pode implicar em perdas, lágrimas, noites mal dormidas. Pode exigir renúncias, esforço extremo. Então, o que o faz valer à pena? A comunhão com Deus, ela faz valer a pena. O salmista disse: “Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra” e“Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos” (Sl 119.68, 71). É como quem diz: valeu a pena passar pelo vestibular pra que hoje eu pudesse me formar!



Jó se formou na fôrma de Deus. Agora, não era apenas reto, íntegro, temente e afastado do mal; fora promovido a amigo íntimo de Deus:“de contigo andar”. Jó passou a ver Deus de perto, face a face, olhos nos olhos. A criação em interação com o Criador. Isto recompensou o seu sofrimento. Certamente, se o patriarca recebesse um diploma para seus valores de justiça, retidão, temor e por se desviar do mal, nenhum deles teria mais destaque em sua galeria do que o certificado da moldura de ouro: um relacionamento pessoal com Deus.



Talvez, nem assim queiramos passar pelo que Jó passou. Talvez por isso mesmo nunca experimentemos a sensação de andar com Deus como ele andou!

Adolfo Pereira é um jovem pastor auxiliar do Templo Central da AD-BH. Bacharel em Teologia pela Faculdade Karpos, teve seu curso validado pela Faculdade Unida de Vitória/ES. Líder da juventude da Igreja na Grande BH. Casado com Cristiane Carla e pai do Nicholas Christian.

Postador Unknown

Seja Bem-vindo ao meu blog. Deixe abaixo os seus comentários. Obrigado por sua visita e volte sempre!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta