» » Moradores do bairro São Gabriel reclamam de segurança em audiência pública

Moradores reclamam da falta de policiamento na região, roubos e assaltos

Moradores e comerciantes cobraram explicações do poder público, Polícia Militar e Guarda Municipal sobre a ocorrência frequente de roubos e assaltos no Bairro São Gabriel, na Região Nordeste da cidade, em audiência pública no salão da Paróquia Nossa Senhora da Anunciação, na última quinta-feira (23/4). A audiência foi realizada pela Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor
.
Raimunda de Carvalho Braz, comerciante no bairro há 25 anos, teve sua mercearia assaltada por diversas vezes. “A gente trabalha preocupada. Todo mundo que passa é suspeito, não vemos viatura e há poucos policiais no bairro”, relatou.

Constantemente, a comunidade reclama da frequência de roubos e assaltos na região. Segundo o pastor José Felício Gottaro Júnior, a ação de criminosos tem assustado os frequentadores da igreja, no Bairro São Gabriel. “Sempre ouvimos reclamações dos fiéis, que têm sido abordados, às vezes à mão armada, por marginais na porta da igreja, no ponto de ônibus, tendo, inclusive, seus veículos roubados”, contou Gottaro.

Ações da PM
A Policia Militar reconhece o aumento do número de assaltos na região e destaca que a localização do Bairro São Gabriel, com acesso ao Anel Rodoviário e outros importantes corredores de trânsito, facilita a ação dos criminosos. De acordo com o tenente Marco Túlio Carneiro, sub comandante da PMMG, atualmente, o principal problema do bairro é o roubo a transeuntes. Segundo ele, por ser localizado entre vias de trânsito rápido, o bairro facilita a fuga de pessoas que cometem esse tipo de delito. “Vamos tentar conseguir o apoio da comunidade quanto a ações para inibir os assaltos a transeuntes, em vias laterais e vicinais, visando melhorar ainda mais o policiamento”, afirmou.

Enquanto novas medidas de segurança não são implantadas, a Polícia Militar alerta para cuidados que podem evitar que a população se torne vítima dos bandidos. Segundo o tenente Túlio Carneiro, ao encontrar facilidade, observando pessoas usando o celular em pontos de ônibus, por exemplo, ou com a bolsa volumosa à vista, o infrator pratica o delito, muitas vezes sem nem mesmo utilizar armas de fogo. Outra oportunidade que favorece a ação dos assaltantes é a pessoa caminhar sozinha no interior do bairro. “Para o infrator, é mais vantajoso roubar uma mulher ou um homem que está sozinho. Se ele se depara com um grupo maior, vai pensar duas vezes antes de praticar o delito”, orientou Carneiro.

Ações da PBH
O gerente regional de fiscalização e licenciamento da Regional Nordeste, Luiz Carlos Vieira, enumerou, por sua vez, as ações da PBH na região, a fim de evitar as ocorrências.  “Temos atuado na melhoria da iluminação, por meio da troca de lâmpadas, na capina de matos em terrenos públicos ou notificação de terrenos particulares e na poda de árvores, contribuindo, assim, com o trabalho da Polícia Militar e da Guarda Municipal”, informou Vieira.

Assessoria de Comunicação com Câmara de BH

Postador Leonardo Moreira

Seja Bem-vindo ao meu blog. Deixe abaixo os seus comentários. Obrigado por sua visita e volte sempre!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta