» » » Falta de vagas de estacionamento no entorno do Mineirão é desafio

Comissão da Câmara de BH propõe regulamentar estacionamentos clandestinos e usar espaço da UFMG



Com a redução do número de vagas no entorno do Mineirão em dias de jogos, desde a Copa do Mundo, torcedores têm sido obrigados a estacionar seus veículos nas redondezas da arena, em áreas residenciais, percorrendo grandes distâncias a pé e desagradando a vizinhança.

Outros optam por deixarem os automóveis em garagens clandestinas, considerando a limitação de vagas dentro do estádio e o valor cobrado. Para discutir o problema, a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário realizou, nesta terça-feira (15), audiência pública com a presença da Polícia Militar, clubes esportivos, Corpo de Bombeiros, BHTrans, Secretaria de Estado de Esportes, proprietários de estacionamentos, associação de moradores e Minas Arena. 

Os vereadores deliberaram pela formação de uma comissão de trabalho para a elaboração de projeto de lei, visando à regularização dos estacionamentos clandestinos e pela utilização do Centro Esportivo Universitário da UFMG para a disponibilização de vagas.
Anteriormente à audiência, a Comissão de Transporte e Sistema Viário realizou, no último domingo (13), visita técnica às imediações do Mineirão, em dia de clássico, buscando conhecer de perto as dificuldades enfrentadas. Foram constatados problemas relativos ao trânsito, segurança, sentido das vias, concentração de torcedores fora do estádio e filas crescentes antes da abertura dos portões. Devido à falta de vagas, 53 estacionamentos irregulares funcionam na região, oferecendo cerca de 4 mil vagas aos torcedores.

Proibições e permissões
Segundo a BHTrans, não é permitido o estacionamento no entorno, para que haja uma maior acessibilidade, internamente, e uma melhor fluidez do tráfego, externamente, considerando que, devido ao Mineirão ter somente dois portões de acesso a pessoas, as torcidas extrapolam os passeios reservados.

Contudo, conforme relatou a gerente de Ação Regional Noroeste Pampulha / BHTrans, Maria Inês de Oliva Ferreira Franco, é permitido estacionar em um dos lados da Avenida Antônio Carlos (área C), exceto em áreas reservadas para vans fretadas, lanche rápido, idosos, pessoas portadoras de deficiência, caminhões e micro-ônibus, táxis e transporte coletivo. No Bairro São José, as vias transversais foram sinalizadas, devido à reclamação dos moradores quanto ao fechamento de portas de garagens e esquinas. Assim, alinhada à ação da Polícia Militar, a BHTrans coloca desvios nas ruas, quando necessário.

Está em fase de teste a liberação do estacionamento do entorno em dias de jogos, durante a semana e aos sábados e domingos, na Avenida Antônio Abrahão Caram, Avenida C e Rua Coronel Oscar Paschoal. Os próximos testes serão feitos nos dias 27/9, 4/10 e 8/11. Quanto ao transporte público disponibilizado em dias de partidas, Franco salientou que, no último clássico Atlético X Cruzeiro, cerca de mil pessoas utilizaram o Move.

Mais ônibus e regulamentação
Como alternativa para a falta de vagas do entorno do Mineirão, o coordenador da unidade setorial da Secretaria de Estado de Esportes, Diego Jardim, apontou o estacionamento no Mineirinho e vias de acesso. Reforçando a importância da parceria com a BHTrans e a Polícia Militar, Jardim propôs, ainda, uma operação especial para aumento da oferta de ônibus na cidade.

O presidente da associação dos proprietários de estacionamentos no entorno do Mineirão, Antônio Patrus de Sousa Filho, informou, por sua vez, que existem, hoje, 53 estacionamentos, que disponibilizam 4 mil vagas, atendendo a grande parte dos torcedores em dias de jogos. Contudo, a maioria funciona à mercê da lei. Defendendo a regulamentação desses espaços, Sousa afirmou que, em dias de clássicos, cerca de 10 mil veículos vão para o estádio, ressaltando que a medida irá beneficiar proprietários, torcedores e moradores.

Segurança
O vice-presidente do Pró-Civitas, associação de moradores da Pampulha, Claude Rewe Camille Mines, aprova a regularização dos estacionamentos, desde que seja respeitada uma distância de 100 a 150 m do interior dos bairros, a fim de garantir a segurança dos moradores. A comunidade também defende a proibição da venda de foguetes e a distância do comércio em dias de jogos da área residencial.

Segundo o chefe de Seção de Planejamento do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, Nagib Magela Jorge de Oliveira, o isolamento dos torcedores de cada time é feito para evitar tumultos e o seu acesso à via pública. Contudo, de acordo com a PM, próximo do horário dos jogos, os torcedores acabam ultrapassando o gradeamento e invadindo as ruas. Daí, a criação de pontos de desvio, quando necessário. Oliveira sugeriu também a fiscalização da prefeitura no que diz respeito à retirada de ambulantes da área externa do estádio.

O Corpo de Bombeiros propôs, por sua vez, que 96 horas antes do início dos jogos, quando é realizada uma reunião com a Polícia Militar, BHTrans e clubes esportivos, sejam checados todos os itens relativos à organização do evento.

Compra online
Para faciliar o deslocamento do torcedor, o gerente sócio do Futebol Cruzeiro Esporte Clube, Bernardo Mota, explica que o clube possui cerca de 70 mil sócios, dos quais 35 mil possuem um aplicativo que informa a disponibilidade de vagas e permite o pagamento antecipado pelo estacionamento. 

Segundo o gerente de Tecnologia da Minas Arena, Otávio Góes, a Minas Arena disponibiliza 3,2 mil vagas no Mineirão e mil no Mineirinho. Ele ressaltou que a área de estacionamento da UFMG pertencia, anteriormente, ao Mineirão, com a disponibilização de, em média, 800 a 900 vagas. Góes informou que a Minas Arena possui um site que divulga, online, o número de vagas no estacionamento. Duzentas vagas podem ser vendidas antecipadamente.

Encaminhamentos
Foi proposta na audiência a disponibilização do Centro Esportivo Universitário (CEU) para estacionamento e a criação de atividades preliminares aos jogos, a fim de atrair o torcedor para dentro do estádio antes do início das partidas. Sugeriu-se, ainda, a criação de uma comissão de trabalho, com a participação dos órgãos envolvidos, incluindo a Secretaria Municipal de Regulação Urbana, para elaboração de projeto de lei, visando a regulamentação dos estacionamentos clandestinos. Também deliberou-se pelo aumento da fiscalização de flanelinhas no entorno do Mineirão, a fim de garantir a segurança dos torcedores.

Com informações CMBH

Postador Leonardo Moreira

Seja Bem-vindo ao meu blog. Deixe abaixo os seus comentários. Obrigado por sua visita e volte sempre!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta