» » » Comissão da Câmara de BH constata funcionamento e atendimento reduzido

Capaz de atender 451 leitos, o hospital recebe somente 45 pacientes/dia por falta de recursos

Com 39 leitos de internação, 6 leitos de CTI e cerca de 200 funcionários, o Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, conhecido como Hospital do Barreiro, após três meses de inauguração e com capacidade para atender 451 leitos, atende somente 45 pacientes do SUS por dia, devido à falta de recursos dos governos federal e estadual. 

Cem por cento dos recursos vêm da prefeitura, que faz um repasse mensal de R$ 3 milhões à parceria público-privada. Os dados foram apurados em visita técnica da Comissão de Saúde e Saneamento, nesta segunda-feira (29/2), quando deliberou-se por discutir, junto à Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, a viabilização de recursos para o pleno funcionamento do hospital. 

Na visita, constatou-se que o atendimento de pronto-socorro não está funcionando de porta aberta, ou seja, o atendimento é referenciado, visando monitorar o tipo de paciente que chega ao hospital. Segundo o diretor executivo do Hospital Metropolitano Célio de Castro, Flávio Duffles, após 70 anos a prefeitura entrega mais um hospital à população, que não deixa nada a desejar a nenhum hospital do país em termos de estrutura e tecnologia. Contudo, segundo ele, o hospital está pronto para realizar os atendimentos, dependendo, exclusivamente, de recursos. Duffles informou que, quando estiver em pleno funcionamento, o hospital contará com 320 leitos de internação.

Funcionamento
Os pacientes do SUS são encaminhados pela central de leitos ao Hospital do Barreiro, conforme condições de atendimento. Com uma equipe de médicos, técnicos de enfermagem, enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas e nutricionistas, o hospital não possui pediatria nem maternidade.

Funcionando com 10% de sua capacidade, o Hospital Metropolitano do Barreiro possui sala de emergência, mas ainda inoperante, com previsão futura de atender 12 leitos simultâneos. O bloco cirúrgico possui 16 salas, totalizando 80 leitos de CTI. O custo do hospital é de cerca de R$ 5 milhões, sendo repassados pela prefeitura R$ 3 milhões à parceria público-privada.

Estrutura
Conforme informou Lucinéia Carvalhais, médica do Hospital do Barreiro, a estrutura tem capacidade para manter-se em pleno funcionamento, sem interrupções por falta de manutenção. Quanto à estrutura assistencial, há uma organização da forma de trabalho e de serviços, que também podem servir de modelo para o SUS. Segundo Carvalhais, para todas as categorias profissionais, também está prevista formação de recursos humanos. Quanto à tecnologia, Carvalhais citou como exemplo o pneumático, um “elevador” deslocado de um setor a outro, com amostras de sangue e de outros materiais e medicamentos, dentro de cápsulas específicas que direcionam para o laboratório e para a farmácia. “É uma estrutura física que possibilita a permanênciados técnicos de enfermagem e da equipe assistencial junto ao paciente”, explicou. 
 
Conselhos e Sindicatos
A presidente do Conselho Distrital de Saúde do Barreiro, Ilda Alexandrino, destacou, por sua vez, a grave epidemia de dengue no Barreiro, tendo como consequência a incapacidade da Upa e do Hospital Júlia Kubitschek de atender os pacientes.

Segundo a diretora da área de saúde do Sindibel, Ângela de Assis, conforme publicado no Diário Oficial do Município (DOM) em dezembro do ano passado, na assistência social foram contratados cerca de 250 profissionais, que já estão trabalhando no hospital, além dos 300 profissionais que atuam na logística.  “Num momento de crise na urgência e na emergência com a questão da dengue e poucos profissionais na área da saúde, principalmente de nível médio, constata-se no hospital uma subutilização, tanto de espaço físico quanto de mão de obra”, afirmou Assis.


Assessoria de comunicação com CMBH

Postador Leonardo Moreira

Seja Bem-vindo ao meu blog. Deixe abaixo os seus comentários. Obrigado por sua visita e volte sempre!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta